Águas e Soluções

Se a sua ideia é montar um sistema de captação para uso da água de chuva, você precisa consultar um especialista.

Considere o seguinte:

  • Quanto você precisa armazenar da água de chuva para atender sua necessidade?
  • Você tem espaço para instalação de cisterna ou tanque para estocagem?
  • Você conhece a norma brasileira (NBR) sobre aproveitamento de água de chuva?
  • A água armazenada pode apresentar risco biológico?
  • Posso aproveitar os recursos naturais como: poços artesianos ou lençóis freáticos?

  • Estas e outras dúvidas podem ser respondidas solicitando uma visita técnica.



  • Quer saber mais sobre este assunto, entre em contato pelo:
projetos@aguasesolucoes.com.br

Luca Mantovanelli

Msc. Biólogo

CRBio: 97543/01-D

Para mais informações sobre este assunto, envie e-mail para:

projetos@aguasesolucoes.com.br

Telefone: (11) 98346-3442

Projeto Águas e soluções

Águas e Soluções desenvolve projetos e instala sistemas de captação de água de chuva em condomínios e empresas. Através de tecnologia moderna, os projetos captam e armazenam água de chuva com critérios de biossegurança a quantidade de água de chuva necessária para fins não potáveis. O sistema desenvolvido por Águas e Soluções segue os requisitos das normas NBR e podem ser homologados pelo programa IPTU verde municipal.

“Nossa missão é proteger os recursos naturais”

Um breve histórico sobre armazenamento de água de chuva

Coletar água de chuva para utilização durante os meses secos (estiagem) em galões ou cisternas ou outros dispositivos é uma prática tradicional ancestral. Registros históricos demonstram que a água de chuva era represada em primitivos containers há mais de 2000 anos na Tailândia.

No cenário atual das cidades brasileiras, a indisponibilidade e o aumento do custo da água são frequentes, restringindo o uso em diversas regiões. Cada vez mais, proprietários de imóveis estão adotando a prática de armazenamento da água de chuva para reuso.

Em defesa dos recursos naturais

Nos grandes centros urbanos, são construídos variadas superfícies de concreto e materiais de cobertura que alteram a paisagem, impermeabilizam o solo e consequentemente influenciam na absorção natural das águas das chuvas. Desse modo, a capacidade dos aquíferos subterrâneos (lençol freático) são reduzidos.

Com a captação e armazenamento da água das chuvas, é possível utilizar a água da chuva na irrigação de áreas verdes em épocas de estiagem, lavagem de roupas, nas descargas de bacias sanitárias, lavagem de pisos, escadarias, lavagem de automóveis, e tantas outras finalidades. Dessa forma, contribuímos significativamente para a conservação das reservas de água potável apenas para consumo humano, diminuindo a longo prazo o consumo energético das cidades, reduzindo o bombeamento de água para o suprimento municipal. A combinação desses aspectos contribui para a conservação de nosso principal e mais precioso recurso natural – a água.

Incentivo municipal: a captação de água de chuva e IPTU verde

Todo município brasileiro tem o compromisso de incentivar seus cidadãos a utilizar medidas para preservação do meio ambiente através do Programa Cidades Sustentáveis. A ONU orienta que ações locais devem ser estimuladas para repercutirem mundialmente na preservação dos recursos naturais para as próximas gerações. Dessa forma, muitas prefeituras adotam o IPTU verde. São descontos no IPTU, que variam em cada município, com duração de até 5 anos para proprietários de imóveis que adotarem medidas técnicas sustentáveis como: captação de água de chuva, energia fotovoltaica, telhado verde, arborização e acessibilidade. Cada uma dessas medidas tem uma alíquota de desconto chega a somar um considerável abatimento no IPT. Para tanto, os sistemas devem atender a normas técnicas da ABNT.

Uma das primeiras cidades brasileiras a adotar o IPTU Verde foi Guarulhos em 2011 após a aprovação da Lei municipal 6793/2010. Os incentivos fiscais previstos na Lei compõem um conjunto de descontos.

No dia 14 de outubro de 2015, o Prefeito Fernando Haddad, acompanhado do Secretário de Finanças, Rogério Ceron de Oliveira, assinaram o Projeto de Lei que institui na cidade de São Paulo o incentivo fiscal do IPTU Verde. Segundo o Prefeito Haddad, um dos diferenciais desta iniciativa é a utilização de certificações existentes no mercado para chancelar o benefício ao proprietário da edificação. O percentual do desconto pode variar entre 4% a 12% do valor total do IPTU.